22 métricas de marketing e vendas para impulsionar seu negócio

22 métricas de marketing e vendas para impulsionar seu negócio

Confira neste artigo o que são métricas de marketing e vendas, qual a importância delas para a sua empresa e as 22 principais para acompanhar, além de entender quais métricas evitar e como escolher as mais assertivas para impulsionar o seu negócio!
Não quer ler? Você também pode ouvir o post aqui abaixo
Getting your Trinity Audio player ready...

Métricas de marketing e vendas como taxa de conversão, CAC, LTV e NPS são valiosas para impulsionar o crescimento da sua empresa, otimizar as suas estratégias e alcançar melhores resultados. A escolha certa deve considerar seus objetivos e a mensurabilidade, relevância e disponibilidade das métricas.

“Se você não pode pode medir, não pode gerenciar.”

Essa frase do austríaco Peter Drucker, considerado um dos pais da Administração, resume bem a importância de ter boas métricas de marketing e vendas, especialmente se você trabalha com vendas B2B.

Afinal, se você não pode medir o sucesso das suas campanhas de inbound e outbound marketing e acompanhar a eficácia do seu processo de vendas, como você vai saber se está seguindo a estratégia certa para sustentar o crescimento da sua empresa a longo prazo? E para escalar o seu negócio e vender mais?

Impossível, não é mesmo?!

A boa notícia é que, depois de ler este artigo, esse não será mais um problema com o qual você tem que lidar.

Isso porque vamos te ensinar o que são métricas de marketing e vendas, qual a importância delas para a sua empresa e te apresentar as 22 melhores para acompanhar, além de te mostrar quais você deve evitar e como escolher as mais assertivas para o seu negócio.

Boa leitura!

O que são métricas de marketing e vendas?

Métricas de marketing e vendas são medidas quantitativas e qualitativas usadas para avaliar e monitorar o desempenho da sua empresa em relação aos seus objetivos de vendarketing.

Elas fornecem dados e insights valiosos que auxiliam na tomada de decisões mais assertivas e no direcionamento de estratégias mais eficazes.

As métricas de marketing são usadas para medir e avaliar o desempenho das suas atividades de marketing em diferentes canais e iniciativas. Elas abrangem aspectos como a geração de leads, o envolvimento do público, a eficácia das campanhas, o alcance, a conversão etc.

Essas métricas ajudam a entender o impacto das suas ações de marketing, identificar áreas de melhoria e otimizar a alocação de recursos.

Já as métricas de vendas são focadas na avaliação do desempenho do time comercial e do processo de vendas como um todo. Elas medem a eficácia das suas estratégias, o progresso em relação às metas, a taxa de conversão, o valor médio das vendas, a retenção de clientes e outros aspectos relacionados ao fechamento de negócios.

Essas métricas ajudam a acompanhar o seu desempenho comercial, identificando tendências, ajustando abordagens e impulsionando o crescimento da sua receita a longo prazo.

Qual a importância de trabalhar com métricas de marketing e vendas?

Trabalhar com métricas de marketing e vendas é essencial para o sucesso do seu negócio, pois elas fornecem uma base sólida para avaliar, medir e melhorar o desempenho das atividades de marketing e vendas – duas áreas essenciais para a sua empresa.

Para deixar ainda mais claro, separamos a seguir as principais razões pelas quais você deve adotar essas métricas. Confira:

  • Medição do desempenho: as métricas de marketing e vendas fornecem uma forma objetiva de avaliar o desempenho das suas estratégias. Elas permitem identificar pontos fortes e fracos, medir o progresso em relação às metas estabelecidas e identificar áreas de melhoria;
  • Análise da eficácia: essas métricas ajudam a determinar a eficácia das suas ações de marketing e vendas. Elas permitem identificar quais estratégias estão gerando mais resultados, direcionando seus esforços para áreas de maior impacto e maximizando o retorno dos investimentos;
  • Tomada de decisões informadas: as métricas de marketing e vendas fornecem dados confiáveis e quantificáveis para embasar as suas decisões. Elas ajudam a reduzir a subjetividade, permitindo uma abordagem mais embasada em informações concretas;
  • Otimização de recursos: ao acompanhar as métricas de custo, a sua empresa pode identificar oportunidades para otimizar a alocação de recursos. Isso possibilita investir de forma mais eficiente em atividades que oferecem maior retorno;
  • Acompanhamento de tendências e mudanças: as métricas de marketing e vendas ajudam a identificar tendências e mudanças no comportamento do mercado, permitindo que você ajuste as suas estratégias para se adaptar às novas demandas e preferências dos seus clientes;
  • Comunicação e alinhamento: esas métricas fornecem uma linguagem comum entre os times de marketing e vendas, facilitando a comunicação e o alinhamento dos esforços. Elas permitem uma compreensão compartilhada dos objetivos, promovendo uma colaboração mais eficiente.

11 melhores métricas de marketing para acompanhar

Agora que você já está mais do que convencido a adotar métricas de marketing e vendas na sua empresa, vamos falar sobre quais são as melhores no contexto de marketing. Veja a seguir:

#1 Número de leads gerados por canal

A primeira métrica de marketing é o número de leads gerados por canal. Ele mede a quantidade de leads qualificados que são gerados em cada canal de marketing, como e-mails, mídia paga, mídia social, SEO etc.

Essa métrica é importante porque ajuda a avaliar a eficácia de cada canal em atrair leads e direcionar os seus esforços e recursos para os mais eficientes.

Além disso, ela permite identificar oportunidades de melhoria e otimização dos canais menos produtivos.

Para calcular essa métrica, basta somar o número de leads gerados em cada canal durante um determinado período.

Por exemplo: em uma empresa, durante 1 mês, foram gerados 100 leads através de e-mails, 50 através de mídia paga e 30 através de mídia social. Nesse caso, o número de leads gerados por canal seria: e-mails (100), mídia paga (50) e mídia social (30).

#2 Custo por Lead (CPL)

A segunda métrica de marketing é o Custo por Lead (CPL). Ele mede o custo médio para adquirir um lead qualificado.

Ela é importante porque permite avaliar a eficiência e o retorno do investimento nas suas atividades de geração de leads.

Para calcular o CPL, é necessário dividir o custo total da campanha de marketing pelo número de leads gerados durante um período.

Por exemplo, em uma empresa, foi investido R$5.000,00 em uma campanha de marketing que gerou 200 leads qualificados. O cálculo do CPL seria: R$5.000,00/200 = R$25,00 por lead.

O CPL é uma métrica valiosa para medir a eficácia das campanhas de marketing e comparar diferentes estratégias. Com base nesse indicador, a sua empresa pode identificar as ações que geram leads de forma mais eficiente e direcionar seus recursos para as estratégias mais rentáveis.

#3 Custo por Clique (CPC)

A terceira métrica de marketing é o Custo por Clique (CPC). Ele é utilizado para medir o custo médio de cada clique em anúncios pagos, como campanhas de mídia paga em mecanismos de busca ou redes sociais.

O CPC é importante pois auxilia a avaliar a eficiência dos investimentos em anúncios e permite comparar o desempenho entre diferentes canais e campanhas.

Para calcular o CPC, é necessário dividir o custo total dos anúncios pelo número de cliques recebidos durante um determinado período.

Por exemplo, em uma campanha de anúncios pagos, foram investidos R$2.000,00 e foram recebidos 500 cliques. O cálculo do CPC seria: R$2.000,00/500 cliques = R$4,00 por clique.

#4 Taxa de Cliques (CTR)

A quarta métrica de marketing é a Taxa de Cliques (CTR), que mede a proporção de cliques em relação ao número de visualizações ou impressões de um anúncio e é expressa em porcentagem.

Essa métrica é importante, pois indica o nível de engajamento e interesse do público-alvo em relação ao seu conteúdo.

Para calcular o CTR, você deve dividir o número de cliques pelo número de visualizações ou impressões do anúncio e multiplicar por 100 para obter a porcentagem.

Por exemplo, em uma campanha de e-mail marketing, um e-mail foi enviado para 1.000 destinatários e obteve 100 cliques. O cálculo do CTR seria: (100 cliques / 1.000 visualizações) x 100 = 10% de taxa de cliques.

Um CTR alto indica que o conteúdo do anúncio está sendo relevante e atraente para o público, enquanto um CTR baixo pode indicar a necessidade de ajustar a mensagem, o design ou o direcionamento da campanha.

#5 Custo por Aquisição (CPA)

A quinta métrica de marketing é o Custo por Aquisição (CPA). Ele avalia o custo médio necessário para adquirir um novo cliente.

É uma métrica crítica para entender a eficácia das estratégias de marketing e vendas em converter leads em clientes pagantes.

O CPA é calculado dividindo-se o custo total da campanha de marketing pelo número de clientes adquiridos durante um período determinado.

Por exemplo, se uma empresa investiu R$10.000,00 em uma campanha de marketing que gerou 20 novos clientes, o cálculo do CPA seria: R$10.000,00/20 clientes = R$500,00.

O CPA é importante porque permite avaliar o custo efetivo da aquisição de clientes. Uma baixa taxa de CPA indica que a empresa está adquirindo clientes de forma econômica e eficiente, enquanto uma alta taxa pode indicar a necessidade de ajustes nas estratégias ou na qualidade dos leads gerados.

#6 Custo de Aquisição de Clientes (CAC)

A sexta métrica de marketing é o Custo de Aquisição de Clientes (CAC). Ele engloba todos os custos envolvidos na aquisição de um novo cliente, desde as despesas de marketing até as de vendas.

O CAC é uma métrica fundamental para avaliar a sua eficiência operacional e a rentabilidade da sua empresa.

Ele é calculado dividindo-se o custo total de marketing e vendas pelo número de novos clientes adquiridos durante um período específico.

Por exemplo, se uma empresa gastou R$100.000,00 em esforços de marketing e vendas durante um mês e adquiriu 50 novos clientes nesse período, o cálculo do CAC seria: R$100.000,00/50 clientes = R$2.000,00.

Um CAC alto indica a necessidade de otimizar as estratégias de marketing e vendas, melhorar a eficiência operacional ou buscar reduzir os custos de aquisição. Já um CAC baixo indica uma maior eficiência na aquisição de clientes, o que é desejável para maximizar a rentabilidade e o sucesso das suas vendas.

#7 Taxa de Abertura de E-mails

A sétima métrica de marketing é a Taxa de Abertura de E-mails. Ela mede a porcentagem de destinatários que abriram um e-mail em relação ao total de e-mails enviados.

A taxa de abertura é uma métrica fundamental para avaliar a eficácia das suas campanhas de e-mail marketing e a relevância do conteúdo para o público-alvo.

Ela é calculada dividindo-se o número de e-mails abertos pelo número total de e-mails enviados e multiplicando por 100 para obter a porcentagem.

Por exemplo, se uma empresa enviou 1.000 e-mails e obteve 200 aberturas, o cálculo da taxa de abertura seria: (200 aberturas / 1.000 e-mails enviados) x 100 = 20%.

Uma alta taxa de abertura indica que o conteúdo e o assunto do e-mail são atrativos e relevantes. Por outro lado, uma baixa taxa de abertura pode sinalizar a necessidade de melhorar o conteúdo, o design ou a segmentação dos destinatários.

#8 Taxa de Cliques em E-mails

A oitava métrica de marketing é a Taxa de Cliques em E-mails. Ela mede a porcentagem de destinatários que clicaram em um link ou chamada para ação (CTA) presente no e-mail em relação ao número total de e-mails enviados.

É uma métrica essencial para avaliar a eficácia das campanhas de e-mail marketing em direcionar o engajamento e a interação dos destinatários.

A taxa de cliques em e-mails é calculada dividindo-se o número de cliques nos links pelo número total de e-mails enviados e multiplicando por 100 para obter a porcentagem.

Por exemplo, se uma empresa enviou 1.000 e-mails e obteve 100 cliques em links, o cálculo da taxa de cliques seria: (100 cliques / 1.000 e-mails enviados) x 100 = 10%.

Uma taxa de cliques mais alta indica que o conteúdo do e-mail é atrativo e direciona os destinatários para a ação desejada. Por outro lado, uma taxa de cliques baixa sinaliza a necessidade de melhorar a relevância, a clareza ou o apelo das suas mensagens.

#9 Retorno sobre o Investimento (ROI)

A nona métrica de marketing é o Retorno sobre o Investimento (ROI). Ele avalia o retorno financeiro gerado em relação ao investimento realizado em uma determinada campanha ou iniciativa de marketing.

Essa métrica é essencial para determinar a eficácia e a rentabilidade das suas estratégias de marketing e vendas.

O cálculo do ROI é feito subtraindo o custo total da campanha da receita gerada e dividindo o resultado pelo custo total da campanha, multiplicado por 100 para obter a porcentagem.

Por exemplo, se uma campanha de marketing teve um custo total de R$50.000,00 e gerou uma receita de R$150.000,00, o cálculo do ROI seria: [(R$150.000,00 – R$50.000,00) / R$50.000,00] x 100 = 200%.

Uma taxa de ROI positiva indica que o investimento teve um retorno lucrativo, enquanto um ROI negativo indica prejuízo. Com base no ROI, a sua empresa pode tomar decisões informadas sobre a alocação de recursos e a otimização de campanhas para maximizar os seus resultados.

#10 Número de Usuários Únicos

A décima métrica de marketing é o Número de Usuários Únicos. Ele mede a quantidade de indivíduos distintos que acessam um site, uma plataforma digital ou interagem com os canais de marketing da sua empresa.

O número de usuários únicos é importante porque permite compreender o alcance da sua marca, além de avaliar o interesse e a audiência atingida pelas suas estratégias de marketing.

Seu cálculo é realizado contabilizando o número de visitantes diferentes dentro de um determinado período.

Por exemplo, em um mês, um site teve 2.000 visitas únicas. Isso significa que 2.000 indivíduos diferentes acessaram o site durante esse período.

O número de usuários únicos auxilia na análise do tráfego e no entendimento do tamanho e do comportamento da sua audiência. Ele também pode ser usado para monitorar o crescimento ao longo do tempo e identificar tendências de engajamento para as suas estratégias.

#11 Taxa de rejeição

A décima-primeira métrica de marketing é a Taxa de Rejeição. Ela mede a porcentagem de visitantes de um site que saem da página inicial sem interagir com o conteúdo ou navegar para outras páginas.

A taxa de rejeição é uma métrica importante, porque indica o nível de engajamento e relevância do seu site para os visitantes.

Ela é calculada dividindo-se o número de visitantes que saem do site imediatamente (sem interação) pelo número total de visitantes e multiplicando por 100 para obter a porcentagem.

Por exemplo, se um site teve 500 visitantes que saíram sem interagir com o conteúdo e um total de 2.000 visitantes, o cálculo da taxa de rejeição seria: (500 visitantes que saíram / 2.000 visitantes totais) x 100 = 25%.

Uma taxa de rejeição alta indica problemas com o design, a usabilidade ou a relevância do seu site para os visitantes. Dessa forma, uma taxa de rejeição baixa geralmente é desejada, pois indica que os visitantes estão engajados e explorando o seu conteúdo.

11 métricas de vendas infalíveis para o seu negócio

Agora que já falamos sobre o marketing, vamos falar de vendas. Confira a seguir, as 11 principais métricas comerciais para aplicar na sua empresa:

#1 Taxa de Conversão entre as etapas do processo de vendas

A primeira métrica de vendas é a Taxa de Conversão entre as etapas do processo de vendas. Ela mede a eficiência em converter leads e oportunidades em clientes em cada etapa do funil.

É uma métrica importante pois indica a eficácia do seu processo de vendas em avançar os prospects ao longo do funil e fechar negócios.

A taxa de conversão é calculada dividindo-se o número de clientes conquistados em uma etapa específica pelo número de leads ou oportunidades no estágio anterior e multiplicando por 100 para obter a porcentagem.

Por exemplo, se uma empresa teve 50 clientes conquistados em um mês e 200 oportunidades qualificadas no estágio anterior, o cálculo da taxa de conversão seria: (50 clientes / 200 oportunidades) x 100 = 25%.

A taxa de conversão entre as etapas do processo de vendas é importante porque permite identificar gargalos, pontos de melhoria e oportunidades de otimização no funil.

#2 Tempo Médio de Resposta

A segunda métrica de vendas é o Tempo Médio de Resposta. Ele mede o tempo que a sua empresa leva para responder a uma solicitação ou consulta de um lead ou cliente.

É uma métrica crítica, pois reflete a agilidade e o nível de atendimento ao cliente, o que impacta significativamente nas chances de conversão e satisfação.

O cálculo do Tempo Médio de Resposta envolve somar os tempos de resposta de todas as solicitações e dividir pelo número total de solicitações.

Por exemplo, em um mês, uma empresa recebeu 100 solicitações de informações e levou em média 2 horas para responder a cada uma. O cálculo do Tempo Médio de Resposta seria: 200 horas (100 solicitações x 2 horas) / 100 solicitações = 2 horas.

Um tempo médio de resposta curto é desejável, pois demonstra comprometimento com o cliente e aumenta a probabilidade de conversão. Por outro lado, um tempo médio de resposta longo pode levar à perda de leads ou a clientes insatisfeitos.

#3 Número de Reuniões Agendadas

A terceira métrica de vendas é o Número de Reuniões Agendadas. Ele mede a quantidade de reuniões marcadas com leads durante um determinado período de tempo.

É uma métrica importante porque reflete o nível de engajamento e interesse dos leads em avançar no seu processo de vendas.

O cálculo do Número de Reuniões Agendadas envolve contabilizar o total de reuniões marcadas com leads em um determinado período.

Por exemplo, em um mês, uma equipe de vendas pode ter conseguido agendar 20 reuniões com leads qualificados.

Essa métrica é importante porque indica o progresso no ciclo de vendas e a capacidade de transformar leads em oportunidades reais de negócio. Um maior número de reuniões agendadas pode resultar em mais oportunidades de fechar negócios, mas isso não é regra: é melhor ter poucas reuniões qualificadas do que muitas desqualificadas que não vão levar a lugar nenhum.

#4 Ticket Médio

A quarta métrica de vendas é o Ticket Médio. Ele mede o valor médio das vendas realizadas por um determinado período de tempo.

É uma métrica fundamental, pois indica o valor médio que um cliente gasta ao adquirir os seus produtos ou serviços.

O cálculo do Ticket Médio envolve somar o valor total das vendas em um período e dividir pelo número de vendas realizadas.

Por exemplo, em um mês, uma empresa realizou 50 vendas, totalizando R$100.000,00 em receita. O cálculo do Ticket Médio seria: R$100.000,00/50 vendas = R$2.000,00.

O Ticket Médio é importante porque fornece uma visão do valor médio das suas transações comerciais. Aumentar o Ticket Médio é vantajoso, pois significa um maior valor agregado nas suas vendas e um aumento na sua receita.

#5 Tempo Médio do Ciclo de Vendas

A quinta métrica de vendas é o Tempo Médio do Ciclo de Vendas. Ele mede a duração média, em dias ou semanas, do processo de vendas, desde o primeiro contato com um lead até o fechamento.

É uma métrica crucial para entender a eficiência e a velocidade do seu processo comercial.

O cálculo do Tempo Médio do Ciclo de Vendas envolve somar a duração do ciclo de vendas de cada negócio fechado e dividir pelo número total de vendas realizadas.

Por exemplo, em um trimestre, uma empresa fechou 30 vendas, e o tempo total do ciclo de vendas foi de 90 dias. O cálculo do Tempo Médio do Ciclo de Vendas seria: 90 dias / 30 vendas = 3 dias.

Essa métrica é importante porque ajuda a identificar gargalos e ineficiências no processo de vendas. Um tempo médio longo indica demoras na qualificação de leads, negociações arrastadas ou falta de eficiência na tomada de decisões.

#6 Lifetime value (LTV)

A sexta métrica de vendas é o Lifetime Value (LTV), também conhecido como Valor Vitalício do Cliente. Ele estima o valor financeiro médio que um cliente traz para a empresa durante todo o período em que ele é cliente.

O LTV é uma métrica crucial para entender o retorno sobre o investimento em aquisição de clientes e a lucratividade da sua empresa a longo prazo.

O cálculo do LTV envolve multiplicar o valor médio de compra de um cliente pelo número médio de compras por ano e pela média de anos em que o cliente permanece ativo.

Por exemplo, se um cliente gasta em média R$5.000,00 em cada compra, faz 3 compras por ano e permanece ativo em média por 5 anos, o cálculo do LTV seria: R$5.000,00 x 3 compras/ano x 5 anos = R$75.000,00.

A importância do LTV está em compreender o valor real de cada cliente ao longo do tempo. Um LTV alto indica um cliente de alto valor e que vale a pena investir em sua aquisição e retenção. Isso ajuda a direcionar os esforços de marketing e vendas para os clientes com maior potencial de retorno.

#7 Receita recorrente mensal (MRR)

A sétima métrica de vendas é a Receita Recorrente Mensal (MRR – Monthly Recurring Revenue). Ela mede a receita gerada de forma recorrente por meio de assinaturas, contratos ou pagamentos periódicos.

O MRR é especialmente relevante para empresas que operam em modelos de negócios baseados em assinatura ou vendas recorrentes.

O cálculo do MRR envolve somar a receita gerada por todos os clientes em um determinado período e pode ser ajustado considerando cancelamentos e upgrades. Geralmente, o MRR é calculado mensalmente.

Por exemplo, uma empresa que oferece um serviço de software tem 100 clientes pagando R$1.000,00 mensalmente. O cálculo do MRR seria: 100 clientes x R$1.000,00 = R$100.000,00.

O MRR é importante porque fornece uma visão clara e constante da receita gerada pelas vendas recorrentes. É uma métrica fundamental para avaliar a saúde financeira da sua empresa, prever o fluxo de caixa e mensurar o crescimento.

#8 Net Promoter Score (NPS)

A oitava métrica de vendas é o Net Promoter Score (NPS). Ele mede a satisfação e lealdade dos clientes em relação à sua empresa.

O NPS é obtido por meio de pesquisas que pedem aos clientes para classificar, em uma escala de 0 a 10, o quanto eles recomendariam o seu negócio a outras pessoas.

O cálculo do NPS envolve subtrair a porcentagem de promotores (clientes que atribuíram uma nota de 9 ou 10) da porcentagem de detratores (clientes que atribuíram uma nota de 0 a 6). O resultado varia de -100 a +100.

Por exemplo, se 40% dos clientes são promotores e 20% são detratores, o cálculo do NPS seria: 40% – 20% = 20.

Um NPS alto indica que a empresa tem uma base de clientes satisfeita e propensa a indicar seus produtos ou serviços para outras pessoas.

#9 Churn

A nona métrica de vendas é o Churn, que mede a taxa de cancelamentos ou perdas de clientes ao longo do tempo.

Ele é essencial para avaliar a retenção dos leads e a saúde do seu negócio e é calculado dividindo o número de clientes perdidos durante um período pelo número total de clientes no início desse período.

Por exemplo, se uma empresa tinha 100 clientes no início de um trimestre e perdeu 10 clientes ao longo desse tempo, o cálculo do Churn seria: (10 clientes perdidos / 100 clientes iniciais) x 100 = 10%.

O Churn é importante porque indica a capacidade da sua empresa de manter seus clientes.

Um Churn alto indica problemas como insatisfação e necessidade de melhorias nos seus produtos, serviços ou suporte. Dessa forma, é desejável um Churn baixo, pois isso indica um maior envolvimento e fidelidade dos clientes.

#10 MRR churn

A décima métrica de vendas é o MRR Churn, que mede a taxa de perda de receita recorrente mensal (MRR) devido ao cancelamento ou redução de assinaturas, contratos ou pagamentos periódicos.

Ele é crucial para entender a saúde financeira do seu negócio e a sua eficiência na retenção de receita.

O cálculo do MRR Churn envolve somar a receita perdida devido ao cancelamento ou redução de assinaturas durante um período e dividir pelo MRR inicial do mesmo período.

Por exemplo, se uma empresa tinha um MRR de R$100.000,00 no início do mês e perdeu R$ 10.000,00 de receita devido a cancelamentos, o cálculo do MRR Churn seria: (R$10.000,00 de perda de receita / R$100.000,00 de MRR inicial) x 100 = 10%.

Uma alta taxa de MRR Churn indica problemas na retenção de clientes e insatisfação com os seus produtos ou serviços. Desse modo, você deve buscar mantê-la sempre o mais baixa possível.

#11 Taxa de upsell e cross-sell

A décima-primeira métrica de vendas é a taxa de upsell e cross-sell. Ela mede a capacidade da sua empresa de realizar vendas adicionais para clientes existentes, seja por meio de um upgrade para um produto ou serviço mais avançado (upsell) ou pela venda de produtos ou serviços complementares (cross-sell).

Essa métrica é fundamental para impulsionar o crescimento sustentável do seu negócio. Além disso, ela fortalece a fidelidade dos seus clientes, os seus relacionamentos de longo prazo e a satisfação geral com as suas soluções.

A taxa de upsell e cross-sell é calculada dividindo-se o número de vendas adicionais realizadas para clientes existentes pelo número total de vendas realizadas no mesmo período e multiplicando por 100 para obter a porcentagem.

Por exemplo, se uma empresa fez 50 vendas no mês, sendo 10 upsells e 5 cross-sells para clientes existentes, o cálculo da taxa seria: [(10 upsells + 5 cross-sells) / 50 vendas totais] x 100 = 30%.

Como escolher as melhores métricas de marketing e vendas para o seu negócio?

Se você chegou até aqui, pode estar confuso em relação a quais métricas de marketing e vendas adotar para o seu negócio: todas? Algumas? Como escolher as mais assertivas?

É sobre isso que vamos falar neste tópico! Confira abaixo um passo a passo infalível para escolher as melhores métricas para a sua empresa:

#1 Defina os seus objetivos!

O primeiro passo para escolher as melhores métricas de marketing e vendas para o seu negócio é definir os seus objetivos. Isso é fundamental porque as métricas devem estar alinhadas aos resultados que você deseja alcançar.

Definir objetivos claros e específicos permite identificar as métricas que são mais relevantes para medir o progresso em direção a eles. Por exemplo: se você busca aumentar a conscientização da sua marca, métricas como o engajamento nas redes sociais podem ser importantes. Já se o seu objetivo é aumentar as suas vendas, a taxa de conversão, o ticket médio ou a receita recorrente podem ser mais relevantes.

Para definir os seus objetivos, avalie os principais impulsionadores do sucesso do seu negócio, identifique as áreas em que você deseja melhorar e defina metas mensuráveis e realistas. Essas metas ajudarão a orientar a escolha das métricas de marketing e vendas mais adequadas para o seu negócio.

#2 Entenda quais métricas se configuram como KPIs!

O segundo passo para escolher as métricas de marketing e vendas certas para a sua empresa é entender quais se configuram como KPIs, ou Indicadores-Chave de Desempenho.

Eles são as métricas mais relevantes e estratégicas para o seu negócio, que fornecem insights essenciais sobre o progresso em relação aos seus objetivos.

Escolher os KPIs adequados ajuda a focar nas métricas que realmente impactam o sucesso e o crescimento da sua empresa, evitando a dispersão de recursos e esforços em números menos relevantes.

Para determinar os KPIs, avalie quais métricas têm uma correlação direta com os resultados que você busca. Por exemplo, se você busca aumentar a receita, o ticket médio ou a taxa de conversão podem ser bons KPIs.

Também leve em consideração a disponibilidade e confiabilidade dos dados necessários para calcular essas métricas. Certifique-se de ter acesso às informações necessárias para acompanhar e analisar os KPIs escolhidos.

#3 Certifique-se de que as métricas sejam facilmente mensuráveis!

O terceiro passo para escolher as métricas de marketing e vendas mais assertivas para o seu negócio é ter certeza de que elas são facilmente mensuráveis. Isso porque é fundamental que as métricas escolhidas possam ser coletadas e calculadas de forma precisa e consistente.

Ao selecionar métricas de fácil mensuração, você tem acesso a dados confiáveis e atualizados, o que permite uma análise mais precisa do seu desempenho e facilita a tomada de decisões.

Para fazer isso, avalie a disponibilidade dos dados necessários para cada métrica. Considere se você possui as ferramentas adequadas para coletar esses dados ou se precisa implementar soluções de rastreamento e análise. Além disso, verifique se a metodologia do cálculo  é clara e aplicável ao seu negócio.

Lembre-se também de que a facilidade de mensuração varia dependendo do estágio de desenvolvimento do seu negócio e dos recursos disponíveis. Dessa forma, priorize as métricas que podem ser obtidas com eficiência e sem grandes obstáculos técnicos.

#4 Conte com a ajuda de ferramentas!

O quarto passo para escolher as melhores métricas de marketing e vendas para o seu negócio é contar com a ajuda das ferramentas apropriadas.

Ferramentas de análise e monitoramento são fundamentais para coletar, processar e apresentar os dados relacionados às métricas escolhidas.

Elas facilitam o acompanhamento contínuo das métricas, permitindo uma análise mais eficiente e fornecendo insights valiosos sobre o desempenho das suas estratégias de marketing e vendas.

Ao escolher as ferramentas adequadas, considere as necessidades específicas do seu negócio, como a capacidade de integração com os sistemas existentes, a facilidade de uso, a escalabilidade e a disponibilidade de recursos.

A importância de contar com ferramentas apropriadas está na automatização e agilidade proporcionadas ao processo de coleta e análise de dados. Isso economiza tempo e recursos, além de permitir uma visualização mais clara e concisa das métricas, facilitando a identificação de padrões e tendências.

#5 Faça testes, acompanhe e modifique se necessário!

O quinto passo para escolher as métricas de marketing e vendas certas para a sua empresa é fazer testes, acompanhar e modificar se necessário. É crucial entender que as métricas escolhidas podem não ser as mais adequadas no início e,por isso, é importante realizar testes e ajustes ao longo do tempo.

A importância desse passo reside na capacidade de adaptar e otimizar as suas métricas de acordo com as necessidades do seu negócio. Ao acompanhar regularmente o desempenho das métricas selecionadas, você pode identificar o que está funcionando e o que precisa ser descontinuado.

Para fazer isso, estabeleça um ciclo de revisão e melhoria contínuo. Analise os dados, identifique as áreas de baixo desempenho e busque entender as suas causas. Com base nessa análise, faça ajustes, substituindo as métricas que não são tão relevantes e adicionando outras mais adequadas.

Lembre-se: as métricas podem variar de acordo com o estágio do seu negócio, as mudanças no mercado e as metas estabelecidas. Portanto, esteja aberto a experimentar diferentes abordagens e adaptar conforme necessário.

Conclusão

Se você chegou até aqui, garantimos que está munido das melhores métricas de marketing e vendas para aplicar no seu negócio.

Agora, é hora de utilizar o passo a passo para escolher as mais assertivas para a sua empresa e colocar a mão na massa!

Caso tenha restado alguma dúvida, deixe nos comentários! Será um prazer responder para te ajudar a chegar ao topo junto com a Growth Machine!

Obrigado por nos acompanhar e até a próxima leitura!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas

Imagem que exemplifica o aumento de faturamento conquistado pela Empresa Eficaz após entrar na Comunidade Demanda Infinita da Growth Machine.

Case Empresa Eficaz: 2x o faturamento em apenas 60 dias

Descubra neste artigo como a Empresa Eficaz saiu de um faturamento mensal abaixo de R$50 mil para mais de R$100 mil em apenas 60 dias através das ferramentas, da mentalidade e do conhecimento adquirido na Comunidade Demanda Infinita.

Imagem que exemplifica a triplicação do número de agendamentos lograda pela Leão Marketeria no High Growth.

Case Leão Marketeria: 3x mais agendamentos em fim de ano

Descubra neste artigo como a Leão Marketeria conseguiu dobrar de tamanho e triplicar o seu número de agendamentos durante as festas de fim de ano, tudo isso através das estratégias e mentalidades aprendidas com a participação no High Growth.

Imagem que exemplifica dois touchpoints essenciais em vendas: e-mail e ligação.

Touchpoints: o que são, exemplos e 6 dicas para fazer

Confira neste artigo tudo sobre os touchpoints, desde sua definição, sua importância e suas funcionalidades até seus principais tipos, exemplos, como inseri-los na jornada de compra e seis dicas para ser mais eficiente e conversivo.